Índia

Nosso roteiro pela Índia

Vocês sobreviveram na Índia? SIM! Valeu a pena? Antes de começar seu planejamento, leia essas considerações!

Passamos 10 dias na Índia e agora vamos contar como foi a nossa experiência no país, as cidades que conhecemos, como fizemos para nos locomover, onde dormimos e o que mais gostamos, o que menos gostamos. E o que faríamos de diferente, caso conhecêssemos melhor a Índia antes de viajar.

Após longas pesquisas, sabíamos que queríamos fazer o Triângulo Dourado (Delhi, Agra, Jaipur), tentamos comprar as passagens de trem e não obtivemos muito sucesso.

Daí começamos a pesquisar quanto ficaria pegar uma excursão e colocando na ponta do lápis, saiu um pouco mais caro do que fazer por conta própria e teríamos muito benefícios na mão: motorista particular, todas as reservas de hotéis feitas e todo o itinerário definido.

Ao final do post colocaremos os pontos positivos e negativos de estar de fechar com a agência e indicaremos os valores que pagamos e a agência que contratamos.

Dia 09/09 – Chegamos em Delhi de meia noite e fomos para o hotel, o nosso tour pela cidade começaria cedinho na manhã seguinte.

Dia 10/09 – Após não tomar café (o café da manhã do hotel era horrível – Hotel Rupam Kingston Park), nossa primeira parada foi na Mesquita Jama Masjid, seguida por um passeio pelo Mercado Chandni Chowk, um dos mercados mais antigos de Delhi.

Nessa hora, o guia local nos acompanhava.

No mercado, vimos casinhas locais no seu interior + templos + comemos uns docinhos tradicionais!

Depois passamos na Ugrasen ki baoli, uma espécie de poço/sítio arqueológico, onde os indianos usavam para guardar água da chuva e para se refrescar. Visitamos um templo Sikh, conhecemos a cozinha comunitária do templo e seu interior.

Depois seguimos para a área onde ficam os prédios governamentais, casa do presidente e os ministérios, e o portão da Índia.

Passamos pelo sítio arqueológico Qutab Minar, onde tem um minarete e fomos surpreendidos por estar pagando 30 vezes mais que um indiano (aqui começou o nosso descontentamento pelo país – para saber mais dessa realidade clique no link)

O local é lindo! Vale a pena a visita!

Dia intenso? Bom, acho que Delhi poderia ter sido mais explorada, mas achamos que um dia foi suficiente, pois apesar de ter outras milhares de atrações, a cidade é muito suja, com muita gente e você não consegue um minuto de paz ao passear por lá.

Dia 11/09 – Seguimos para Agra. A cidade é horrível, mais suja ainda, mais caótica ainda. Nem dá nem para acreditar que lá tem o Taj Mahal. Esse é o ponto de interesse nesse cidade… Se você quer muito conhecer, vá!

Visitamos o Taj Mahal e poderíamos ter ido ao forte, mas pulamos essa atração.

Dia 12/09 – Seguimos para Jaipur, a cidade rosa! Mas no caminho fizemos uma parada no Fatehpur sikri- Akbar Antiga Capital e Mesquita Shrine of Sheik Salim Chisti. Essa parada acontece em um conjunto de palácios construídos por um rei da região que tinha 3 esposas, o guia contará toda a história do lugar, é bem bonito! Depois você segue para uma Mesquita, lá milhares de vendedores te abordarão, tornando sua visita insuportável. Você nem consegue respirar direito, é muita gente se aproximando todo o tempo.

Uma das poucas fotos que conseguimos tirar na Mesquita kkkkkkk

Seguimos para Jaipur! Nessa cidade vale a pena ficar mais tempo do que ficamos e fazer sem guia! A cidade é bem mais tranquila, mais bem cuidada e mais bonita. Um alívio pós Delhi e Agra!

Dia 13/09 – No primeiro dia em Jaipur, vale a pena tirar a manhã para conhecer o Amber Forte, vá sem guia, leia antes sobre o forte e passe o tempo que você desejar por lá. Os guias só te mostram parte do forte, é triste!

Nesse forte, tem vários palácios, terraços, labirintos e jardins. É lindo! De lá dá para ter uma vista incrível. As pessoas sobem ao forte de elefante, não andamos de elefante.

Vista do Forte

Ficamos pouco tempo por lá, seguimos para o Palácio da Ilha, criado para diversão dos reis. Lá eles podia beber e fazer a festa que ninguém iria escutar a bagunça. Antigamente, barcos levavam o pessoal para conhecer o castelo, hoje não é possível.

À tarde, fomos ao City Palace, conhecer a história dos Marajás, que ainda hoje moram e são considerados reis na cidade de Jaipur.

Lá tem dois museus que não podem ser fotografados e algumas salas reais. Só tiramos fotos da parte externa, onde era permitido.

No dia seguinte, já seguimos para Jodhpur, cidade azul. Mas se eu pudesse te dar um conselho, fica mais tempo em Jaipur, por ser uma cidade mais tranquila, você pode conhecer melhor um pouco da Índia por lá. Passear pelos mercados, caminhar no centrinho todo rosa, é legal!

Dia 14/09 – Jodhpur também nos surpreendeu. A cidade é toda azulada e do terraço do hotel dava para ter uma vista legal da cidade.

Logo que chegamos, no final da tarde, fomos até o Mercado Sadar. Como sempre uma aventura, se perder pelo mercado, ver os temperos, os tecidos e as pessoas gritando. Se um mercado é algo bagunçado em qualquer parte do mundo, imagine na Índia?

Dia 15/09 – Hora de conhecer Jodhpur e foi a cidade que mais gostamos! Sabe porque? Fizemos todas as visitas sem guia, no nosso tempo, com liberdade. Nossa! Isso faz toda a diferença!!!

Passamos a manhã inteira no Mehran Garh Forte, você recebe um áudio-guia e vai conhecendo a história do lugar a medida que você avança nos pontos de explicação.

Após horas explorando o forte e o palácio, fizemos uma parada para o almoço e voltamos para o Jaswant Thada, um misto de memorial + jardins + ambiente para fazer yoga.

Mas, iae? Vcs aprenderam a arte da meditação?

Acho que não foi dessa vez!

De lá passamos em um hotel famoso da cidade (Umaid Bhawan Palace) que não vale a pena a visita! Ele é bonito de longe, mas não tem nada para ver lá dentro.

Passamos pelo hotel e como os pontos do nosso roteiro já havia acabado e iríamos apenas voltar para o hotel, pedimos para ir até o Mandore Gardens. O local em si é bem pobre, muito lixo pelo parque, onde deveria ser um jardim. Caminhando um pouco você vai encontrar lindos templos e macacos.

Vale a pena ir até os templos!

Dia 16/09 – Nesse dia o destino era a cidade de Udaipur, mas no caminho iríamos parar no Templo Ranakpur da religião Jain. O templo é gigante e todo feito no mármore, mas nossa experiência lá foi terrível. O primeiro ponto é que nativos não pagam nada e estrangeiros pagam 300 rupees + 100 para tirar foto. Na entrada, somos revistados e entregamos os comprovantes de pagamento. 

Passado algum tempo, chega um fiscal perguntando sobre nossos tickets. Falamos que pagamos e entregamos o comprovante na entrada, eles ficaram insistindo, com o claro intuito de nos taxar novamente. Dá para acreditar?

Vieram 2 ou 3 guardas perguntar a mesma coisa. Além disso, não podíamos parar em nenhum lugar para admirar o local, que um guardar começava a apitar loucamente, pedindo que nos levantássemos e começássemos a andar, como assim? Em um templo?

Foi horrível! Não recomendamos esse lugar. Lendo as avaliações no google, vimos várias pessoas reportando abusos semelhantes. Muito triste! Vai uma foto aí?

Depois dessa visita, seguimos para Udaipur. Era domingo e decidimos dar uma volta na cidade à noite. Bem em frente ao hotel que ficamos tinha uma espécie de orla beirando o rio. Ficamos um tempo por lá e depois fomos visitar um templo.

Dia 17/09 – Só no dia seguinte passeamos por Udaipur, conhecemos um jardim muito bonito chamado Shahelion Ki Bari.

Também conhecemos um Centrinho Cultural com exposições locais, artesanato e museus chamado Shilp Gram. É meio sem graça, mas foi divertido! Passamos em mais um parque  – Pandit Deendayal Upadhyay, onde é possível ver muitos macacos soltos pelas árvores. E voltamos para o hotel.

Dia 18/09 – No caminho para a nossa última Pushkar, paramos no Forte Chittaurgarh. É forte gigante, em que você percorre de carro os principais pontos, mas, desde já, aviso que não vale a pena pagar para entrar no templo e no palácio. Basta dirigir pelo forte, visitar o jardim e ter um visual da cidade, tudo isso de graça!

Dia 20/09 – Nosso dia em Pushkar foi apenas para visitar o rio e voltar para Delhi.

 

Agora vamos detalhar os hotéis que ficamos:

DELHI  HOTEL Rupam Kingston Park – Pessímo!
AGRA  HOTEL Allevaite – Maravilhoso!
JAIPUR HOTEL 66 Residency – Ok!
JODHPUR HOTEL Om Heritage – Ok!
UDAIPUR HOTEL Gaj Villas – Ok, mas os funcionários querem controlar sua vida a todo tempo. 
PUSHKAR HOTEL Pushkar Lake palace – Péssimo!
DELHI HOTEL White House – Péssimo!

Fizemos o nosso roteiro com a A-1 Tours India! Fizemos as contas e valeu a pena! O conforto de estar com um carro disponível 24hs te livra de muita dor de cabeça!

Todos esses dias com hotel + motorista particular = 55.000 RUPEES (R$ 3.100,00)

O pacote não inclui as entradas, nem os guias, que são pagos por você mesmo, a base de comissão – isso não fica claro ao fechar o pacote, então considere um gasto diário de 300 a 400 rupees/dia (R$ 25,00 x 10 = 250,00)

Entradas nos monumentos variam entre 600 rupees a 300 rupees – Considere gastar, por baixo, uns R$ 50,00 dia.

Alimentação – Na maior parte do tempo, o motorista te levará para restaurante de turistas: caros e ruins! Mas considerados limpos em relação a média de higiene do país (R$ 70,00 – refeição para dois).

O que faríamos de diferente?

Veja no próximo post sobre a Índia!

Facebook Comments